Quiz Santos Dumont

Formação educacional e o interesse pela mecânica

Como boa parte dos filhos da elite rural brasileira do século XIX, Santos Dumont, inicialmente, foi instruído em casa, através de estudos dirigidos por parentes e preceptores. Foi alfabetizado pela irmã Virgínia, sete anos mais velha. Até os dez anos, não frequentou qualquer escola formal. Nesta idade, o pai o matriculou no Colégio Culto à Ciência, de Campinas, cuja filosofia educacional se baseava nos ideais positivistas, então em voga no país.

Mais tarde, passa por várias escolas. Em 1885, é matriculado no Colégio Kopke, em São Paulo, instituição liberal e escola modelo, pioneira na individualização do ensino. Porém, logo Santos Dumont buscou outra escola em São Paulo, o Colégio Morton, fundado pelo reverendo presbiteriano norte-americano George Nash Morton, em 1880. Mais tarde, estudou também no Colégio Menezes Vieira, no Rio de Janeiro.

Porém, mesmo nas condições mais propícias, ele só demonstraria interesse real pelos conteúdos de Ciências. Nas demais áreas, era apenas um aluno mediano. Concluída a educação secundária - mesmo sem muito brilho - Santos Dumont chegou a matricular-se na Escola de Engenharia de Ouro Preto, mas não deu sequência aos estudos: sua natureza tímida e irrequieta nunca se habituaria à rotina dos rigores curriculares das escolas tradicionais. Assim, sua formação educacional sempre apresentou traços de forte individualidade. Era um autodidata, por excelência: ao mesmo tempo em que relaxava nos estudos escolares, era capaz de ler vários livros da extensa biblioteca de seu pai, inclusive diversos manuais técnicos sobre máquinas e motores. Provavelmente por isso, mais tarde, na Europa, ele manteria seu método particular de aprendizado, ao aprofundar seus conhecimentos em mecânica.

 

 


Otten Design & Marketing